Projeto 2 - Grupo 2B: Apps para Medicina

Proposta
A proposta do projeto de Co-Design de Aplicativos é construir um app relacionado, ou a área Social ou a Hospitalar. A disciplina fez uma parceria com um centro de inovação social na Vila Nova Esperança e com o Hospital Israelita Albert Einstein. A medida que analisamos e assistimos à apresentações feitas por ambos os representantes, Miguel do Centro de Inovação, e Dr. Bento do Einstein, decidimos construir nosso app voltado ao Hospital.

A seguir estarão dispostas fases do processo de criação desde as primeiras interações com os usuários até o desenvolvimento da interface e usabilidade final.

Visitas aos Hospitais

Hospital Albert Einstein
Data: 29/10/2015

DSC_0098.JPG

Para poder ter ideia do que íamos fazer do nosso aplicativo, quais áreas medicas pretendíamos analisar e qual grupo de usuários explorar fomos ao hospital Albert Einstein para ter mais informações sobre a área medica.
Para isso nos reunimos em uma sala para conversarmos com alguns médicos sobre as possíveis áreas a explorar . O primeiro médico a apresentar falou mais sobre o curso de medicina do Einstein e como os cursos de engenharia e medicina podem fazer parcerias e se complementar, e mesmo tendo sido interessante não agregou muito para o nosso projeto. Depois outro medico falou sobre diversas área do hospital que poderiam usar aplicativos para facilitar seu dia-a-dia, alguma delas são: mapeamento de equipamentos, base de dados das cirurgias, gerenciamento de leitos, entre outros. Porem a maioria dos problemas citados pelo medico eram com enfoque nos problemas da equipe medica, e nossa ideia inicial era criar um aplicativo que beneficiasse os pacientes.
Com isso, confirmamos que poderíamos explorar dois caminhos: um com enfoque nos pacientes e outro com enfoque nos médicos. Para o enfoque nos pacientes pensamos em focar nas pessoas que frequentam regularmente o hospital, ou seja, que utilizariam um aplicativo hospitalar com frequência, por exemplo pessoas com doenças crônicas ou alguns tipos de câncer. Ja para o enfoque nos médicos, pensamos em fazer algo que também beneficiaria os pacientes, então focamos na triagem dos hospitais, fazendo com que as perguntas respondidas diretamente para os médicos pudessem ser respondidas previamente pelo aplicativo e assim reduzindo o tempo de atendimento individual.

Pesquisa de Referências

Nesta etapa, buscamos procurar aplicativos relacionados à saúde. Nosso primeiro passo foi realizar, junto aos outros grupos que optaram por trabalhar com saúde, uma busca de aplicativos sem muito foco, com o intuito de encontrar "espaços à serem explorados".

apps-existentes.jpg

Com isso, realizamos uma pesquisa mais específica dentro do nosso ramo de interesse: Primeiro atendimento de pacientes nos hospitais. À partir desta, chegamos a algumas conclusões, como a de que o único hospital paulistano encontrado com um aplicativo com informações pre-visita foi o Hospital Sírio Libanês, ainda assim, a única informação fornecida era a do tempo de espera previsto para cada área de atendimento

Screenshot_2015-11-09-20-59-57.png

Encontramos também um aplicativo em inglês que apresentava uma interface bastante intuitiva e tinha o objetivo de dar um diagnóstico prévio de um possível paciente, ressaltando quando seria necessária ou não a visita à um médico. O aplicativo se chama iTriage e segue abaixo uma sequência de fotos explicando seu funcionamento.

Screenshot_2015-11-09-21-07-21.png Screenshot_2015-11-09-21-07-24.png Screenshot_2015-11-09-21-07-28.png

Uma grande vantagem deste layout extremamente intuitivo do aplicativo seria a facilidade do primeiro contato entre usuário e produto. Pressupõe-se que por um bom primeiro contato, a taxa de conversão entre "potêncial usuário" e "usuário de fato" seria muito alta.

Outro ponto positivo do aplicativo está na apresentação de postos de saúde próximos e a relação deles com os seguros de saúde, isso atinge o usuário em uma área que nem havíamos considerado antes, que era na decisão de ir ou não ao hospital ou médico.

O maior contra (e grande oportunidade para o nosso aplicativo) está no fato do aplicativo ser somente em inglês e só tratar de convênios americanos, assim como postos de saúde e hospitais de lá. Além disso, o aplicativo possui algumas falhas no layout para certos modelos de Android, o que, mesmo não afetando a utilidade dele, afeta o seu design e apelo à primeiros usuários.

Abaixo constam mais algumas fotos do aplicativo.

Screenshot_2015-11-09-21-07-41.png Screenshot_2015-11-09-22-53-10.png Screenshot_2015-11-09-22-53-13.png Screenshot_2015-11-09-22-54-54.png

Mapa 1: Ideias Preliminares

Triagem.jpg mapa2.jpg

Legenda:

  • Preto: Processos realizados pelo hospital
  • Vermelho: Processos realizados pelo hospital que representaram uma área de interesse do grupo
  • Amarelo: Oportunidade que pode ser inclusa em um aplicativo

Mapa 2: Desafios e Estratégias

mapa2.JPG

Pré-Brainstorm

Antes de realizarmos o brainstorm decidimos descrever o processo do paciente no hospital: ao chegar, ele realiza a triagem, então segue para uma fila onde espera até ser atendido por um médico. Percebemos então que nesta fila a grande maioria dos pacientes ficavam fazendo uso de seus smartphones e que, então, este seria o melhor momento para que o usuário pudesse interagir com o nosso aplicativo.

Com isso ressaltado, poderíamos realizar um brainstorm para "o que colocar no smartphone para um usuário desta fila?"

Segue a imagem do estudo pre-brainstorm.

brain.jpg

Task Decomposition

taskd.jpg

Flow Models

flow.jpg

Value Chart

value.jpg

Persona: Carlos, o homem entediado

A ideia por trás do conceito de persona é de criar um "usuário ideal" o qual será associado às necessidades, valores e motivações comuns entre os usuários. Com isso, poderemos partir para uma análise mais pessoal. Será que o Carlos estaria satisfeito com este produto?

Carlos é um homem de sucesso profissional, por isso mesmo aos seus 37 anos já se viu capaz de contratar um plano de saúde que contemplasse os melhores hospitais da cidade de São Paulo. No entanto, por sempre ter se dedicado muito à sua vida profissional, Carlos se tornara muito solitário de forma que sempre que costuma ir à hospitais e médicos sozinho. Por estar sempre envolvido no trabalho, Carlos não tem tempo à perder na fila de espera do hospital, para Carlos, tempo é dinheiro e cada segundo a mais naquela fila pode significar a perda do emprego pelo qual ele tanto lutou.

  • Necessidades:
    • Distração na fila do hospital
    • Agilidade no atendimento
    • Garantia de um diagnóstico eficaz
  • Valores:
    • Dinheiro
    • Trabalho
    • Tempo
  • Motivações:
    • Carlos faria de tudo para não precisar ir ao médico, mas como isso não é possível, ele adoraria que a consulta ou visita ao pronto-atendimento fosse o mais rápida possível
    • Carlos sabe que deixar a doença se agravar ao invés de ir ao médico será pior para ele, portanto ele sempre prefere ir ao pronto-atendimento o mais cedo possível, mesmo que isso seja no "horário de trabalho".

Além disso devemos considerar também que Carlos é um grande adepto dos smartphones, usando o seu em qualquer brecha, o que vai desda fila de espera do pronto-socorro até mesmo no transporte entre sua casa. e trabalho.

Por fim, eis uma foto de Carlos gripado prestes à entregar um relatório sobre a situação política e o reflexo da mesma no preço das ações de companhias francesas:

man-fatigue-books.jpg

Persona Secundária: Marta, A mãe trabalhadora

Marta é uma mulher bem sucedida, comecou a carreira cedo e agora ocupa um dos cargos mais altos da empresa. Casada em com dois filhos tenta consiliar seu casamento e sua familia com a vida profissional, que demanda grande parte de seu tempo. Com isso, muitas vezes se atrapalha quando precisa resolver algum problema dos filhos durante o horario de seu trabalho, e quando precisa tenta voltar o mais rapido possivel.

  • Necessidades:
    • Agilidade no atendimento
    • Garantia de um diagnóstico eficaz
  • Valores:
    • Saúde da família
    • Trabalho
    • Tempo
  • Motivações:
    • Marta gostaria de não ter que ir ate o hospital, mas como a saúde de seus filhos é de máxima importância, gostaria que o atendimento fosse feito o mais rápido possível

Além disso devemos lembrar que Marta possui um smartphone pois necessita de um para resolver assuntos profissionais.

Cenários:

Carlos, acorda com dor de cabeça pela manhã e precisa ir ao trabalho, durante a manhã sua dor de cabeça só piora. Ao olhar o calendário ele percebe que tem uma reunião as 14:00 e que terá tempo entre o almoço e a reunião para dar uma passada no hospital e ver se recomendam algum remédio mais forte já que o que ele tomou não estava fazendo efeito. Então ele se dirige ao hospital, ao chegar na triagem saca seu Smart-phone e coloca a senha que obteve no app, completa o percurso da triagem, recebe a receita e volta ao trabalho a tempo.

Em plena terca-feira Marta ja comeca o dia estressada, pois perdeu a hora e ainda tem que levar as criancas a escola. Arruma seus filhos correndo e sai de casa o mais rápido possivel e depois de pegar transito para levar as criancas na escola e mais transito para ir ate o trabalho finalmente chega la. Porem quando parecía que seu dia ia comecar a melhorar recebe uma ligação da escola, era seu filho marquinhos que tinha caído na aula de educação física e machucado o braça, e assim Marta sai de novo do trabalho e pega todo o transito de novo para levar seu filho para o hospital, tudo isso para enfrentar uma fila enorme no hospital pensando:”tudo que eu quería agora era sair logo daqui para voltar a trabalhar”.

Paper Prototype

Fizemos o paper prototype com foco na Persona descrita acima (Carlos), no qual ele utilizaria o App para tornar o processo de triagem mais rápido e de maneira mais simples.

Prototype 2

Prototype 3

Versão Final

A versão final do aplicativo pode ser acessada através do link a seguir utilizando um dispositivo móvel : http://pedrocunial.github.io/codesign-final/www/

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License